Guaidó pede novos protestos contra Maduro
28/01/2019 07:42 em Noticias

Juan Guaidó, convocado no domingo para manifestações na próxima quarta-feira e sábado para exigir o apoio das Forças Armadas e de volta o ultimato dado pela Europa ao presidente, Nicolás Maduro, para convocar eleições.

"Na quarta-feira 12-2 (pm) em todos os cantos da Venezuela vai deixar as ruas (...) exigindo das Forças Armadas e aqueles que colocam lado do povo, e no sábado uma mobilização maciça em toda a Venezuela e todos para acompanhar o apoio da União Europeia eo ultimato ", disse o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó em um vídeo transmitido em sua conta no Twitter.

Guaidó, chefe da maioria parlamentar da oposição, lembrou que no próximo domingo é o prazo de oito dias a Espanha, França, Alemanha, Reino Unido, Países Baixos e Portugal deu no sábado Maduro para aceitar eleições livres ou pelo contrário reconhecerá ao líder da oposição como presidente interino. "Vamos (sábado) celebrando o apoio sem precedentes em todo o mundo à nossa causa, mas também ter esse ultimato que daria à União Europeia para alcançar a cessação de usurpação, o governo de transição e chamada é devido à realização de eleições livres "Ele acrescentou.

Em entrevista ao canal de televisão turco CNN Turk, divulgado no domingo, o líder socialista pediu a esses países europeus que retirassem a ameaça. "Ninguém pode nos dar um ultimato", disse ele. O líder parlamentar, empossado como presidente interino no último sábado, pediu por essas novas mobilizações, após uma semana de protestos e distúrbios que deixaram 29 mortos e 350 detidos, segundo organizações de direitos humanos.
Encorajado pelo crescente apoio dos Estados Unidos e da Europa, e pela deserção do adido militar em Washington, Guaidó enviou seus seguidores para distribuir em todo o país cópias da lei de anistia oferecida aos militares, buscando romper o principal apoio de Maduro, as Forças Armadas.
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!